ACF vence na prorrogação e leva título paraibano de futsal

0
497

A decisão do campeonato paraibano de Futsal mostrou realmente as duas melhores equipes do esporte da bola pesada no estado. Associação Campinense de Futsal e Brejo do Cruz Esporte Clube fizeram um duelo emocionante até o último segundo de partida, que teve no seu final o inédito título do ACF-CG que venceu a prorrogação por dois a um.

finalfutsalO JOGO

A partida contou com boa presença de público, na final que pela terceira vez seguida aconteceu no ginásio Andrezão em São Bento, desta com resultado diferente para os donos da casa. A partida começou com o BCEC ligado no 220v, o time fez um a zero com menos de um minuto e acabou vencendo por três de diferença. A segunda etapa dos outros vinte minutos não foi diferente. Brejo em cima, aumentou logo a vantagem, ACF mostrava nervosismo, mas eles tinham o dedo do estrategista Giovani Montini, treinador que usou bem algumas táticas fundamentais que venceram o jogo na prorrogação. Na última metade do segundo tempo, a Associação poupou claramente seus titulares, e o time investiu no goleiro linha, numa espécie de treino para o que estaria por vir. O jogo no tempo normal acabou sendo incríveis sete a um pra Brejo onde até o goleiro Cléverton fez gol, num jogo fácil até então.

Na prorrogação, o ACF nem foi para o vestiário, Giovani reuniu seus atletas no centro de quadra, continuaram sentindo o clima do jogo e ele pegou sua prancheta para as coordenações dos seus atletas.

O tempo extra não começou diferente do que acabara o tempo normal, Brejo fez logo um a zero num chute forte de Artur de fora da área, e assim acabaram os cinco primeiros minutos. O intervalo na prorrogação não existe, os atletas apenas mudam de lado de quadra, e um botão contrário nas duas equipes parece ter sido ligado. O ACF veio com vontade, subiu a marcação e investiu de vez no goleiro linha, que claramente estava bem treinado pra isso. Num lance aparentemente sem risco, Nem do BCEC perdeu a bola no ataque, os campinenses tocaram rápido a bola e empataram a partida com Ruan. O time jovem depois disso cresceu, e Brejo mesmo estando em casa, torcida apoiando, calejado com decisão, ficou nervoso e os meninos do ACF (média de vinte anos de idade) continuaram no goleiro linha, e Bruno num chute rasteiro mas fraco, desempatou numa falha do goleiro brejo-cruzense. Cléverton mesmo assim fez um brilhante jogo, apesar do lance capital.

Depois foi a vez de Brejo usar goleiro linha, e chegou em dois minutos duas vezes muito próximo de empatar (empate dava título aos sertanejos), numa Juninho Leãozinho mandou na trave por capricho da bola e noutra, o lance polêmico do jogo, a bola ficou em cima da linha, entrou um pequeno pedaço, mas não foi gol. Muita reclamação, cartões amarelos pra lá e pra cá, o certo é que não deu pra Brejo. O tri ficou para ano que vem, e a taça do campeonato foi para Campina Grande.

No placar agregado do jogo, tempo normal e extra, Brejo venceu por 8 a 3, mas perdeu na prorrogação quando não podia. Já no agregado dos dois jogos, Brejo ainda fez mais gols, 9 contra sete, mas o regulamento do campeonato prevê vantagem em saldo de gol apenas para jogar prorrogação por empate e não como classificatório no tempo normal.

O jogo teve cobertura da imprensa estadual, através da TV Tambaú e do cronista e apresentador esportivo televiso Professor União, que vai falar do jogo nesta segunda-feira 24 de outubro para todo estado.

DEIXE UMA RESPOSTA