escravos

A Polícia Civil do Rio Grande do Sul investiga a suspeita de que 13 trabalhadores da Paraíba estavam sendo mantidos em condições semelhantes à escravidão em Lajeado, no Vale do Taquari, interior do Rio Grande do Sul. Eles foram encontrados nessa quarta-feira (24) dentro de um caminhão na cidade gaúcha, e levados para prestar depoimento na Polícia Civil.

O flagrante aconteceu durante uma operação realizada pela Polícia Civil, Polícia Rodoviária Federal, Ministério do Trabalho e Brigada Militar. Os trabalhadores eram ambulantes e vendiam materiais como cintos e capas de carro.

Os trabalhadores ficavam presos em uma cela, onde sofriam punições e ameaças psicológicas, conforme relato de uma das vítimas.

Foram ouvidas 17 pessoas, sendo 15 trabalhadores e dois empregadores.

Segundo o delegado Mauro Mallmann, que colheu os depoimentos, os vendedores de materias como cintos e capas de bancos de carro eram transportados no compartimento de carga de um caminhão-baú, onde ficava a cela.

Os ambulantes disseram à polícia que eram submetidos a castigos quando não alcançavam a meta de venda, e também afirmaram ter limitações de locomoção e jornada de trabalho excessiva.

O delegado diz que o grupo foi atraído por uma pessoa da Paraíba, que entregou certa quantia em dinheiro para cada um dos empregados para sustento das famílias. Esse dinheiro deveria ser devolvido com o trabalho prestado no Rio Grande do Sul.

Entretanto, de acordo com informações da polícia, eles recebiam uma quantia insuficiente para alimentação diária e dormiam dentro do caminhão, ou em redes do lado de fora do veículo.

Dois homens foram presos, suspeitos de exercerem conduta análoga a escravidão.

DEIXE UMA RESPOSTA