Professores da UEPB e da UFCG avaliam possibilidade de greve geral na educação

0
356

As universidades públicas avaliam a possibilidade de adesão a uma greve geral da educação.

O presidente da Associação dos Docentes da Universidade Federal de Campina Grande (Adufcg), José Bezerra, disse que os professores seguem uma pauta nacional e no dia 11 de agosto deste ano será realizada uma paralisação pela categoria.

– Na verdade, nós estamos conversando a construção de uma greve geral na educação no país. Mas, essas preparações ainda estão no estágio embrionário como parte do processo na preparação de uma greve geral de todos os trabalhadores gerais do Brasil pelo Fora Temer por nenhum direito a menos. Nós não aceitamos os ataques com 63 projetos que estão no Congresso Nacional atacando direitos sociais, trabalhistas, dos trabalhadores dos magistérios nos três segmentos superior, médio e primário – falou.

O presidente da Aduepb, Leonardo Soares, explicou que nesta quinta-feira os professores discutirão em assembleia geral no auditório III, na Central de Aulas da Universidade Estadual da Paraíba, sobre a data-base e a adesão de greve nacional.

– Vamos fazer os informes relativos ao que os professores vivenciaram nesse período, vamos discutir a questão da data-base, que já vem se arrastando desde janeiro até agora sem nenhuma resolução, o governo do Estado passa para reitoria e a reitoria passa para o Governo do Estado. Dizem que só pode ter a reposição salarial com uma lei complementar que seja aprovada na Assembleia, e nesse imbróglio todo ficam os professores no meio dessa pendenga. Vamos discutir nesse processo todo da conjuntura nacional com esse golpe advindo no governo Dilma provocado pela base política do presidente Temer. Vamos encampar essa luta nacional pela greve geral contra a permanência do governo Temer e pela volta da presidente Dilma. Não é greve da UEPB, é greve geral a nível nacional – concluiu.

*As informações foram veiculadas na Rádio Campina FM.
FONTE: Da Redação*

DEIXE UMA RESPOSTA