Secretária de Patos é flagrada em escuta sobre desvio de recursos do São João

0
1036

O clima segue na temperatura máxima em Patos. Acaba de vazar na Internet um áudio bombástico, revelando alguns detalhes da investigação tocada pelo Ministério Público Federal, que apura esquema de enriquecimento ilícito com o desvio de recursos no São João de Patos. Envolve um patrocínio de R$ 3 milhões da empresa Friboi.

No áudio,  Ilana Motta, mãe do deputado Hugo Motta e chefe de Gabinete da prefeita Chica Motta, liga para a secretaria Meryclis Medeiros (Finanças) e dela recebe a notícia de que a Friboi confirmou e vai depositar no dia seguinte, não apenas R$ 1,5 milhão, mas R$ 3 milhões de patrocínio para o São João, captada por Hugo Motta.

Em seguia a secretaria agradece alegre o que teria  recebido de gratidão pela operação.  Segundo o pessoal da Área Badalada, responsável pela terceirização do evento, eles sabiam que a Friboi só tinha entrado com 300 mil e teria chegado até eles apenas 150 mil. Os R$ 2,8 milhões teriam ficado com o clã Motta, conforme as investigações do MPF.

A INVESTIGAÇÃO

Na semana passada, o MPF anunciou apuração de possível crime de enriquecimento ilícito envolvendo Ilana e mais quatro pessoas do grupo. Os envolvidos, Ilanna, Meryclis D’Medeiros Batista, Wescley Barbosa Lima, Joseilson Felipe da Silva e Wadi de Andrade Barros, foram convocados a prestar depoimento esta manhã (quinta, dia 21). Segundo o MPF, há “fortes indícios” de que a Prefeitura de Patos contratou a empresa de eventos Área Badalada, de propriedade do filho do secretário de Agricultura, por meio de uma licitação direcionada.

Os fatos, apurados no Inquérito Civil nº 1.24.003.000131/2015-64, são um efeito colateral do encontro fortuito de provas entre os dados levantados no âmbito da Operação Desumanidade. Conforme os dados levantados, o ilícito ocorreu quanto o grupo operou para levantar recursos destinados a realização do São João, junto a empresas públicas federais e de particulares.

OS ENVOLVIDOS

Ilanna de Araújo Motta – Chefe de Gabinete da Prefeitura e, conforme áudios de interceptação telefônica, executou e participou das irregularidades no ano de 2015, inclusive quanto ao suposto repasse de recursos provenientes da Friboi à secretária Meryclis D’Medeiros (Finanças).

Meryclis D’Medeiros – Secretária de Finanças do município e presidente da Comissão de São João de Patos, que teria participado diretamente da execução do evento no ano de 2015, conforme se verifica nos áudios interceptados. Ela possuía acesso à conta bancária da empresa Área Badalada.

Wescley Barbosa Lima e Wadi de Andrade Barros – Sócios da empresa Área Badalada. Wadi também era proprietária da empresa Badalo Produções e Eventos (encerrada), firma já conhecida e processada pelo MPF em outro caso de ilicitudes relacionado a recursos públicos. Wadi de Andrade é esposa de Joseilson Felipe da Silva.

Joseilson Felipe da Silva – Procurador da empresa Área Badalada e, conforme informações levantadas pelo MPF e informações bancárias da empresa. Há suspeita de que seja o real proprietário da empresa. Responsável pelos pagamentos e emissão cheques.

Confira o áudio e o vídeo com Ilanna Motta…

Fonte:resumopb

DEIXE UMA RESPOSTA