Ex-prefeito acusado de desviar mais de R$ 5 milhões deve usar tornozeleira eletrônica, na PB

0
221

O ex-prefeito de Cacimba de Areia Inácio Roberto de Lira Campos (Betinho Campos), investigado por desvios de mais de R$ 5 milhões em verbas públicas da cidade no Sertão paraibano, deve usar tornozeleira eletrônica por determinação da Justiça. A decisão divulgada nesta sexta-feira (24) decorre de pedido do Ministério Público Federal (MPF). O réu ainda não foi intimado da decisão.

G1 tentou entrar em contato com o ex-prefeito, mas ele não foi localizado pela reportagem. Betinho Campos é suspeito de fraudes em licitações, investigadas pela Polícia Federal na “Operação Dublê”.
O juiz Claudio Girão Barreto decidiu ainda que o ex-gestor está proibido de ter acesso à sede da Prefeitura de Cacomba de Areia, de entrar em contato com os demais réus da operação e com os agentes públicos vinculados à atual gestão municipal.
O magistrado determinou que todos os bens de Betinho Campos (móveis, imóveis, créditos, depósitos bancários, investimentos, quotas em cooperativas, etc), com valor de mercado superior a R$ 10 mil cada, devem ser relacionados no processo.
Sempre que houver movimentação patrimonial do réu ou de parentes até terceiro grau, deve ser apresentado à Justiça, no prazo máximo de 10 dias, demonstrativo com indicação da alteração e origem/destino dos recursos.