Presidente da Aesa sobre transposição: ”Estão fazendo tempestade em copo d’água”

0
735

O presidente da Aesa, João Fernandes, se pronunciou sobre as declarações do deputado estadual Jeová Campos, que é presidente da Frente Parlamentar das Águas da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB).

Jeová tinha comentado sobre a poluição do açude de Monteiro por causa do esgoto.

Em entrevista à Rádio Campina FM, João Fernandes falou que a barragem é muito pequena para contaminar a quantidade de água que passará no local, seja da chuva ou da transposição do Rio São Francisco.

– A cidade de Monteiros tem uma estação de tratamento d’água que estará sendo ampliada em função da nova ampliação da rede de esgoto, que a Prefeitura de Monteiro contratou com o governo federal, e está na responsabilidade de executar esta obra. Se a barragem tiver algum problema, o Estado, a ANA e o Ministério da Integração resolverão esse problema. Eu pedi esta semana para fazer uma análise do conteúdo nela. Alguém veio pedir outorga à Aesa para explorar e produzir alguma coisa. Eu disse que não tem problema, pode apresentar a solicitação e análise da água que tem no açude de São José, na cidade de Monteiro. Só a partir dessa análise, no tempo oportuno, temos ainda muito tempo para resolver os eventuais problemas que serão encontrados no percurso do Rio Paraíba, quando a água chegar a Monteiro – falou.

Sobre a barragem de São José influenciar o açude de Boqueirão, João afirma que essa água quando chegar ao Açude de Epitácio Pessoa estará totalmente tratada. Ele crê que estão fazendo “tempestade em copo d’água”.

– Temos que ter cuidado quando damos uma declaração da magnitude dessas. Estive em Monteiro visitando a obra e o canal que está cruzando a galeria que transpõe a água. O engenheiro disse que será desviado. Então, se o engenheiro que está fazendo a obra diz isso para mim, tenho que acreditar em outra coisa? Não, tenho que acreditar naquilo que ouvi da boca do engenheiro que está executando a obra – criticou.

Além disso, o presidente da Aesa falou sobre Jeová Campos dizer que um dos trechos da transposição que atenderá o Sertão do Estado está abandonado e as obras não estão sendo executadas.

– Terminou às 13h40 uma reunião do Comitê de Bacias Piancó, Piranhas e Açu. Estava presente na reunião do coordenador do Dnocs, doutor Avani, que disse que, provalvemente, dia 5 será feita a licitação das obras que serão feitas em Poções, do Açude de Boqueirão, Açude de Acauã e outros açudes federais do Sertão da Paraíba. Avani incluiu a questão das obras que serão feitas no Açude de Poções. O governo do Estado está esperando um projeto que vem da KL Engenharia, uma empresa do Ceará, no entanto, o próprio secretário João Azevedo visitou pessoalmente a cidade de Camalaú e foi analisar qual melhor solução para facilitar a passagem da água porque hoje um açude tem um tubo de 500 milímetros por 50 centímetros de descarga e o outro tem um tubo de 60 centímetros por 600 milímetros e isso não seria suficiente para deixar a água do São Francisco passar quando estivesse chegando à cidade de Monteiro. As coisas estão encaminhadas, o governo, a secretaria, Aesa, Cagepa, Dnocs e a ANA estão acompanhando – garantiu.

FONTE: Da Redação*